Entenda a importância das eleições municipais em 2020

Imagem
Mesmo com a Pandemia de coronavírus e todas as suas conseqüências, teremos em novembro as eleições municipais, que irão eleger prefeitos e vereadores nas cidades do Brasil. Devido à crise sanitária, a votação foi adiada de outubro para novembro: o primeiro turno será no dia 15 e o segundo turno ocorrerá no dia 29.Mesmo com todas as restrições impostas pela crise da doença, é importante ter a eleição neste ano. Basta lembrar que os Estados Unidos da América também mantiveram as eleições para a presidência em 2020.O voto é muito importante em nosso contexto político, ainda que tenhamos que discutir, de maneira urgente, a Democracia Representativa que temos hoje. Da maneira como ela funciona, grande parte da população acaba sendo excluída das decisões políticas e somente participa do processo político nas eleições, a cada dois anos. É necessário compreender, no entanto, que política é algo muito maior que votação. Temos visto nos últimos anos várias novas formas de participação política,…

Inteligência Artificial: do filme de ficção científica ao fim do seu emprego

      

Você acorda pela manhã e se prepara para mais um dia de trabalho. Antes de sair de casa dá aquela verificada “básica” no smartphone, procurando por possíveis mensagens no whatsapp, uma imagem bonita no Instagram ou algum tema de seu interesse no Facebook. 

De olho na tela, pode se deparar também com dicas e orientações sobre o trajeto mais rápido para chegar ao seu local de trabalho. Por meio do seu carro próprio ou de transporte público, com horários dos ônibus que trafegam próximos a sua residência. Nas primeiras vezes que isso ocorre você pode ter uma desconfiança de como aquilo “apareceu” no seu celular... Afinal, não solicitou nenhuma informação.

Nesse mesmo dia você liga para sua agência bancária, pois necessita resolver um problema relacionado à sua conta. Quem atende do outro lado não é uma pessoa. Porém, é uma voz feminina. Aquela voz não é humana, mas, fala, interage com você e tem informações a seu respeito, busca resolver a sua demanda. 

Ao navegar pela internet, você começa a receber e ver anúncios de produtos pelos quais se interessou e pesquisou em outro momento. Então, pode pensar que as empresas “estão adivinhando” seus desejos.

O que significa tudo isso? 
Isso é a INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA)!!!

Direto dos livros e filmes de ficção científica, a Inteligência Artificial tornou-se uma realidade, um recurso usado no dia a dia. No entanto, mesmo com a difusão da tecnologia, muitas pessoas ainda têm dúvidas ou mesmo desconhecimento sobre como ela funciona e como é aplicada em diferentes campos no nosso cotidiano. 

Esses foram apenas alguns exemplos de INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL. Ela está presente em smartphones, smartvs, aparelhos de áudio e até em aparelhos próprios, como os smart displays, e podem ser utilizados em diversas situações. Mas, o que seria a IA? Esse é um conceito complexo, que poderia ser pensado como um ramo da Ciência da Computação que se propõe a elaborar dispositivos, máquinas ou softwares, que simulem a capacidade humana de raciocinar, perceber, tomar decisões e resolver problemas, enfim, a capacidade de ser inteligente. Softwares que conseguem abstrair, criar, deduzir e aprender ideias. O objetivo geralmente está em facilitar tarefas do dia a dia, avançar pesquisas científicas e modernizar indústrias.

As aplicações da Inteligência Artificial estão sendo popularizadas e difundidas. No entanto, quanto mais se pesquisa, mais a tecnologia releva novos potenciais e usos, mostrando que ainda há muitas possibilidades a serem exploradas.

Um pouco de história da Inteligência Artificial 


A presença da IA na sua vida

Além dos exemplos dos serviços disponibilizados nos smartphones, relatados no início desse texto, temos os assistentes virtuais como a Siri e o Google Assistant são exemplos de inteligência artificial no cotidiano. 

O aplicativo “Fotos” reconhece o conteúdo de suas imagens e permite que você faça uma busca digitando o nome de um objeto ou ação. O YouTube pode transcrever áudio e gerar legendas para os vídeos em 10 idiomas. O Gmail oferece respostas automáticas inteligentes para seus e-mails. O Google Tradutor traduz textos de placas, rótulos e cardápios com a câmera do celular. O Spotify, o Deezer e a Netflix usam inteligência artificial para entender as preferências dos usuários e recomendar conteúdo.

Carros autônomos também já são realidade e devem chegar ao mercado em poucos anos. Empresas como Google, Uber, Samsung e Volkswagen estão desenvolvendo e testando veículos que dirigem sozinhos. No cinema, a inteligência artificial cria multidões de pessoas para cenas de filmes. Na medicina, está ajudando a avançar estudos sobre o câncer.

A disponibilização de dados impulsiona a IA 

Com a massificação do acesso à internet e, mais recentemente, com o aumento do uso das redes sociais, as pessoas passaram a disponibilizar (involuntariamente na maior parte das vezes) uma grande quantidade de informações e dados pessoais.

Esse é o chamado “Big Data”, conjunto massivo de dados que serve de base para o aprendizado dos mais diversos softwares, favorecendo o cenário da inteligência artificial. Com mais informação disponível, os pesquisadores e as empresas buscam maneiras inteligentes e automatizadas de processar, analisar e usar os dados.



A inteligência artificial substituindo humanos em muitos empregos

De acordo com a empresa de consultoria e auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC), até 2030 robôs substituirão 38% das vagas de trabalho nos Estados Unidos, 30% no Reino Unido e 21% no Japão. Os setores de transporte, armazenamento, manufatura e varejo serão os mais afetados. Essa substituição, obviamente, também chegará ao Brasil.

Já existem softwares capazes de escrever textos jornalísticos mais básicos, como notícias de partidas esportivas e resumos financeiros. Um serviço chamado Wibbitz cria automaticamente vídeos a partir de artigos escritos. O mundo do Direito já é ameaçado pela possível entrada de IA nos EUA.

E as consequências desse avanço? 

E como o ser humano está se relacionando com mais essa inovação tecnológica? Ele pode até ter situações de não aceitação, incompreensão ou até mesmo desconhecimento da mesma, mas a relação já existe. Desta forma, essa relação necessita ser pensada e entendida. Afinal, convivemos com uma forma de inteligência que não é humana, mas está no meio dos humanos...e “ainda” não têm sentimentos(?)...

Estudos e pesquisas acadêmicas tentam entender e explicar o fenômeno.O cinema e a tv também já problematizam essa situação através de obras questionadoras, belas e que nos tiram o sossego. Filmes como AI (Steven Spielberg, 2001), Eu, Robô (Alex Proyas, 2004), Her (Spike Jonze, 2014), Black Mirror (2019), filme e, principalmente, a série, levantam possibilidades dentro de um cenário distópico que nos mostram que não devemos ver a Inteligência Artificial apenas como uma questão de ficção científica. 

Esse tema é tão importante para a sociedade contemporânea (e será ainda mais para as as próximas gerações), que já existe no Brasil uma Graduação em Inteligência Artificial! 

Acesse o link abaixo para saber mais: 



REFERÊNCIAS 

https://brasilescola.uol.com.br/informatica/inteligencia-artificial.htm 

https://rockcontent.com/blog/inteligencia-artificial/

https://www.techtudo.com.br/listas/2018/05/tudo-sobre-inteligencia-artificial-10-fatos-que-voce-precisa-saber.ghtml

https://www.tecmundo.com.br/intel/1039-o-que-e-inteligencia-artificial-.htm



Vander de Andrade
Professor de História/Historiador
Graduado em História e Especialista em Tecnologias Digitais e Educação 3.0

http://www.históriadofuturo.com
profdeandrade@gmail.com
https://www.facebook.com/vander.deandradefariasfilho
https://www.facebook.com/historiadofuturo
https://www.instagram.com/vanderdeandrade
https://www.instagram.com/histo.riadofuturo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As Pandemias mudando radicalmente a história da humanidade

Qual tecnologia é mais importante: a internet ou o domínio do fogo? Uma pergunta para pensar

A perigosa aceleração da EAD no Ensino Fundamental